» » » Em greve, servidores da saúde reclamam de falta de pagamento e aguardam dialogo com a PMCG

Após praticamente um mês em greve, servidores da saúde realizaram no começo da semana movimentos de rua para informar a população dos problemas da categoria e ainda aguardam reunião com representantes do governo municipal. Os servidores da saúde de Campina Grande deflagraram greve por tempo indeterminado desde o 29 de Junho, pela forma negligente que a gestão municipal vem tratando as reivindicações da categoria. Diversas categorias da saúde também estão usando as redes sociais para reclamar e cobrar do prefeito pagamentos atrasados.

O principal motivo que levou a greve foi o não cumprimento do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) dos profissionais da saúde e PCCR dos ACS e ACE, porém, outros motivos acentuaram a vontade dos trabalhadores em lutar pelos seus direitos, como o não pagamento do salário dentro do mês trabalhado, falta de material de trabalho, o não enquadramento dos servidores da saúde e dos Agentes Comunitários de Saúde e Agente de Combate à Endemias nos seus respectivos planos, além dos vários ofícios informando as reivindicações e pedidos de reuniões que não foram sequer respondidos pela secretaria.

O Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e da Borborema (SINTAB) informa ainda que a categoria irá respeitar o percentual de 30% dos servidores em atividade. Destaca também que apesar dos quase 30 dias de greve, não houve sequer uma reunião entre sindicato e os representantes da administração municipal para encontrar uma solução para os pleitos da categoria e por esse motivo a greve continuará por tempo indeterminado.

De acordo com vários servidores que conversaram com a nossa equipe, através das redes sócias o atraso no pagamento do salário dos funcionários da saúde juntamente com várias outras categorias vem sendo uma prática corriqueira da atual gestão tucana. “Hoje dia 29/07 e ainda não recebemos nosso salário de Junho. Classe médica exausta fisicamente e psicologicamente. Não perco a fé que dias melhores virão!”, revelou uma funcionária da saúde que preferiu não se identificar para evitar perseguições .


Fonte: Portal Pb Agora

Postador Renilson Gomes

«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário :

receba nossas atualizações no seu Email

PESQUISE AQUI