» » Eleição da FAMUP poderá ser anulada e nova eleição pode ser realizada no próximo ano

No último dia 17/11, grande parte dos prefeitos eleitos e reeleitos que participaram de evento no Tribunal de Contas da Paraíba, defendeu a anulação do processo eleitoral promovido pela Famup, que elegeu, em chapa única, o ex-prefeito Tota Guedes, candidato derrotado nas últimas eleições no município de Pedra Lavrada. Eles estão pedindo a Justiça para anular o processo eleitoral.

Segundo Douglas Lucena, atual e reeleito prefeito de Bananeiras, os dirigentes da Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) descumpriram artigos importantes do Estatuto da entidade, cerceando o direito de registro de outras chapas, para evitar uma disputa democrática, com o fechamento da sede da entidade, fato que está registrado em fotos e por várias testemunhas que foram ao local para na qual pudessem participar todos os prefeitos. 

De acordo com o prefeito eleito de Pedra Lavrada, Jarbas Maia, a eleição para a presidência da Famup está sendo contestada na Justiça por prefeitos insatisfeitos com o processo eleitoral da entidade. Segundo ele, a ideia é reunir a maioria dos prefeitos de municípios associados e promover mudanças no estatuto da entidade, objetivando conceder oportunidade para que todos participem.

Jarbas destacou que, se a eleição realizada não for anulada, dezenas de municípios se desligarão da Famup, pois os prefeitos eleitos não acreditam na gestão atual e querem participar de um plano de reestruturação da entidade que, pra eles tem servido de cabide de emprego e de beneficiar ex-prefeitos que politizam Famup. 

Os prefeitos também querem saber em que foi investido um montante de R$ 6.199.935,00 (seis milhões, cento e noventa e nove mil, novecentos e trinta e cinco reais), arrecadados das prefeituras de 2012 a 2016, conforme dados do Sistema Sagres do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, sem nenhuma contraprestação.

“Nós queremos saber pra que foi usada essa fortuna, já que os municípios estão cada vez mais pobres e endividados, tendo que pagar a escritórios de projetos aqui e em Brasília, tendo uma entidade que não faz absolutamente nada pelos municípios. A Famup não tem uma proposta apresentada ao longo desse tempo, servindo apenas de trampolim político-partidário”. 

Se a eleição for anulada na Justiça, como espera grande parte dos prefeitos, já se colocaram como opção à presidência da Famup, os prefeitos, André Gadelha (Sousa), Geraldo Moura (Soledade), Douglas Lucena (Bananeiras), Hugo Alves (Caiçara), Daniel Galdino (Piancó), Olivânio Remígio (Picuí), Jarbas Maia (Pedra Lavrada) e Serginho Lima (Baia da Traição), que poderão formar uma “chapa de consenso evitando, segundo Jarbas, o abuso de autoridade que se fez com uma chapa única, sem oportunizar os demais, além de se coibir a perpetuação no poder”.



Do Paraíba Informa 

Postador Sebastião Barbosa

«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário :

receba nossas atualizações no seu Email

PESQUISE AQUI