» » » Prefeito de Nova Palmeira se reúne com representantes do SINPUC

Nos últimos meses, prefeitos de todo o Brasil têm declarado sobre a fase complicada em que atravessam os municípios, devido à crise financeira e política em todo o país.

Muitos dos que questionam o cenário difícil das prefeituras, não sabem a real situação que se apresenta, ou procura apenas um motivo para - na maioria das vezes, questionar, passar uma ideia errônea à população que a crise é de fácil contorno.

A prefeitura de Nova Palmeira é uma, entre muitas, que passa por essa dificuldade. A queda das receitas e o aumento das despesas é um fator que vem acarretando graves problemas financeiros ao município nova-palmeirense.

Para uma melhoria em suas contas, a gestão reivindica a recuperação do Fundo de Participação de Municípios (FPM), a redistribuição da arrecadação de impostos, a definição dos repasses pendentes dos convênios entre a União, estados e municípios e a revisão do pacto federativo.

Diante da situação calamitosa e das cobranças feitas pelo Sindicato dos Servidores Públicos do Curimataú (SINPUC), o prefeito José Félix Filho reuniu o secretário de Administração, João Medeiros, e o assessor jurídico municipal, Wanderley Dantas, para participar com os representantes do sindicato: Edilândia Lobo e Sebastião Santos - Tião de Bebé, de uma reunião na tarde dessa quarta-feira (21), em seu gabinete.

No encontro foram abordados os atrasos de pagamentos dos aposentados, pensionistas e servidores da ativa do município. As quedas nos repasses do Governo Federal - principalmente FPM - e a falta de dinheiro no Instituto de Previdência dos Servidores de Nova Palmeira (IPSENP) levaram o prefeito Zinho a uma apresentação junto aos sindicalistas, de um relatório financeiro que mostra o declínio de receitas entre os meses de janeiro a agosto de 2015 em comparação com 2014.

Entre superávits e déficits, a prefeitura em julho/2015 possuía em suas finanças, uma receita de R$30.816,76. Acontece que o mês de agosto foi ingrato, e o baque foi grande, recebendo o município R$371.255,24 a menos, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Com isso, o déficit no ano agora chega a incríveis R$340.438,67.

Depois de apresentar o relatório a Edilândia e Tião, o gestor mostrou o calendário de pagamento até o dia 20 de novembro. Também no final de novembro será divulgado pela equipe administrativa municipal, o planejamento dos honorários dos servidores até o final do ano.

“Nossos plano é deixar toda folha de pagamento de 2015 em dia até o final de dezembro”, disse o prefeito.

Confira abaixo os dados financeiros entre os meses de janeiro e agosto - anos de 2014 e 2015:

Clique na tabela para ampliá-la

Blog de Nova Palmeira

Postador Sebastião Barbosa

«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário :

receba nossas atualizações no seu Email

PESQUISE AQUI