» » » Bancos entram em greve na PB; veja como pagar contas e alternativa para depósitos

Com a greve dos bancos começando nesta terça-feira (6), os consumidores que tenham contas a pagar e necessitem de serviços bancários precisam ficar atentos aos procedimentos que devem ser utilizados para que não haja juros, nem acúmulo de dívidas. Há também alternativas para operações pela internet ou por telefone que podem eliminar a necessidade de ir à agência; veja abaixo. Às 9h30, já havia registro de falta envelopes para depósitos e de dinheiro para saque em caixas eletrônicos de agências do Banco do Brasil na Avenida Dom Pedro I e no bairro dos Bancários, em João Pessoa. 



De acordo com o secretário do Procon-JP, Helton Renê, o consumidor não pode ser responsabilizado e pagar por algo que não seja de sua culpa. 

“Por enquanto nossa orientação é de que os consumidores paguem suas contas através de meios alternativos como o caixa eletrônico, o correspondente bancário e a internet para evitar uma possível cobrança de juros e multa caso exista atraso. Mas, independente de qualquer situação, os bancos têm responsabilidade com a sociedade consumerista e não podem deixar os consumidores na mão, sem alternativas de pagamento e acumulando dívidas”, afirmou Helton Renê.

Porém, caso o consumidor não tenha como utilizar formas alternativas para pagar as contas, o Procon-JP deve entrar na Justiça para garantir que multas e juros não sejam cobrados indevidamente contra o consumidor.

“O consumidor não tem nada haver com a problemática entre bancos e bancários. Estamos entrando com uma ação na Justiça para, que na época de duração da greve, garantir o direito de quem não tem acesso aos meios alternativos. Essas pessoas não podem ser penalizadas co cobranças indevidas de juros e multa”, disse o secretário do Procon-JP.

Mesmo com a ação, a orientação do Procon-JP é de que, tendo disponibilidade, o consumidor pague suas contas para evitar problemas futuramente.

Pagar contas e fazer depósitos

Praticamente todos os bancos dispõem de canais que permitem com que sejam feitas a maioria das transações, como pagamentos e transferência de valores entre contas do mesmo banco ou de instituições diferentes.

Os procedimentos podem ser feitos pelo caixa eletrônico, pela internet ou por telefone. É importante que o cliente entre com contato com o seu banco para consultar as opções.

As contas podem ser pagas em casas lotéricas ou com leitura do código de barras nos caixas eletrônicos ou pela internet. O débito automático também é uma opção para pagamento em dia.

Já para substituir depósitos, caso não haja envelopes nas agências ou os caixas não tenham essa opção liberada durante a greve, o cliente pode utilizar a transferência convencional entre contas do mesmo banco, o que pode ser feito pelo caixa eletrônico ou pela internet.

Se precisar colocar valores em contas de bancos diferentes, o cliente tem como opção a Transferência Eletrônica Disponível (TED) e o Documento de Ordem de Crédito (DOC). Os dois serviços podem ser feitos pela internet.

A TED pode transferir um valor mínimo de R$ 750 e um máximo de R$ 30 mil. Cada cliente tem um limite máximo e para saber, basta consultar o seu banco. O dinheiro cai na conta até meia hora depois da transferência, em dias úteis.

Já o DOC permite transferência de até R$ 4.999. Para valores maiores, é necessário utilizar a TED. O DOC demora até dois úteis para que o dinheiro entre na conta de destino.

É importante lembrar que a TED e o DOC são tarifados e cada banco aplica um valor conforme o volume depositado. O cliente deve se informar com o banco sobre as condições.



PORTAL CORREIO 

Postador Sebastião Barbosa

«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário :

receba nossas atualizações no seu Email

PESQUISE AQUI