» » » Após um mês de internamento Carlinhos é monitorado por doze profissionais e responde bem ao tratamento

Os sinais de melhora já são visíveis. Deitado sobre a cama do Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco, o paraibano Carlos Antônio dos Santos Freitas, 28 anos, que pesa 420 quilos, está mais esperançoso. Internado há um mês, Carlinhos, como é chamado, já perdeu medidas das coxas. A redução de peso, no entanto, ainda não foi confirmada porque o paciente ainda não pode ficar de pé em uma balança. Mas Carlinhos está bem e, continua com alimentação rica em proteínas, por conta da desnutrição. Mas sua dieta, que era de 15 mil calorias, agora não ultrapassa de três mil. Nesta quarta-feira, a equipe mutidisciplinar do HC fará entrevista coletiva para divulgar detalhes do acompanhamento médico do paciente.

Doze profissionais fazem o monitoramento do paraíbano, que chegou ao HC no dia 9 do mês passado. Segundo a médica Luciana Siqueira, cirurgiã do aparelho digestivo, Carlinhos está respondendo bem ao tratamento. “Ele está fazendo fisioterapia diaria, que ajuda reduzir o inchaço das pernas e a retenção de líquidos. O paciente se adaptou com tranquilidade a rotina hospitalar”, explicou. Segundo a médica, o paciente ainda está com desnutrição grave. “Ele não comia carne. Tinha uma dieta rica em massa e açúcar”, lembrou a médica. Agora, Carlinhos tem um café da manhã com frutas e sucos, intercalado de refeições mais leves e fracionadas. “Na hora do almoço come verduras e proiteínas”, disse. A sorte do paciente, ressalta a médica, é que ele não tem hipertenção. 

Por conta do sobrepeso, o paciente também sofre com feridas na pele. Carlinhos passa a maior parte do tempo deitado. O que acaba contribuindo para aumento das infecções na pele. No HC, ele tem feito higienizações diárias para tratar os ferimentos. Carlinhos precisa perder pelo menos 25% de seu peso atual para passar por uma cirurgia bariátrica. Antes disso, ele deve ganhar um balão intragástrico. Morador da cidade de Patos, no Sertão da Paraíba, a 320 quilômetros de João Pessoa, Carlinhos tentava há quase uma década se tratar da doença. Mas a obesidade acabou lhe causando outras enfermidades como problemas respiratórios e diabetes. 

Carlos Antônio, que tem deficiência cognitiva, começou a engordar aos 15 anos. A família, por não ter formação para lidar com a enfermidade, costumava dar o que ele pedia para comer. Carlinhos chegou a desenvolver um comportamento agressivo e sempre descontava na comida. Pouco mais de um ano atrás, ele chegou a ser  internado por dois meses no Hospital Santa Isabel, em João Pessoa, mas não conseguiu evoluir com o tratamento e acabou retornando para a casa, no interior da paraíba.





mais patos 

Postador Sebastião Barbosa

«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário :

receba nossas atualizações no seu Email

PESQUISE AQUI