» » » Veja como serão destinados os R$ 133,7 mi que deverão combater a seca na Paraíba


Governador assegurou a liberação de R$ 53,7 milhões, que virão do Ministério da Integração Nacional; já outros R$ 80 milhões vão partir do governo do Estado e R$ 116 milhões deverão ser liberados gradativamente.
A Paraíba terá à disposição e R$ 133,7 milhões para ações de abastecimento em cidades com problemas no fornecimento de água, sendo R$ 53,7 milhões vindos do Ministério da Integração Nacional e outros R$ 80 milhões que vão partir do governo do Estado.
O plano emergencial para combate à seca na Paraíba está com valor total orçado em R$ 263,7 milhões, sendo que R$ 130 milhões deverão ser liberados gradativamente. Veja abaixo quais serão as medidas adotadas.


Desse total liberado pelo Ministério da Integração, R$ 18 milhões serão destinados às ações emergenciais em sedes urbanas e R$ 35,7 milhões para implantação do sistema de abastecimento de água em comunidades rurais situadas ao longo dos canais do Projeto de Integração do rio São Francisco. 

O governador lembrou que atualmente a Paraíba tem 58 cidades em colapso e com racionamento grave. Ele também ressaltou que o nível médio dos mananciais está em torno de 19% e que várias obras dependem desses recursos para serem concluídas. 

“Na Paraíba existem diversas adutoras sendo feitas em parceria com o governo federal e muitas delas, a exemplo da de Pocinhos, Natuba, Umbuzeiro e Santa Cecília, deverão ser inauguradas ainda este ano, exatamente em função das assinaturas dos termos de compromisso assinados”, adiantou Ricardo. 

“Com os recursos que garantimos aqui, complementados com outros recursos que o Governo da Paraíba vai disponibilizar nesse grande plano integrado, teremos capacidade de construir duas mil barragens subterrâneas, de colocarmos em funcionamento 178 carros-pipa, de construir cerca de 660 sistemas de abastecimento singelo, de adquirir aproximadamente 10 mil filtros para melhorar a qualidade da água e de cavar cerca de 920 poços artesianos”, detalhou o governador. 

Segundo o ministro Gilberto Occhi, os recursos deverão ser repassados para o enfrentamento da crise hídrica e para as comunidades rurais à margem do projeto, tanto no Eixo Norte quanto no Eixo Leste. Ele também ressaltou o esforço da equipe do Ministério da Integração em tentar solucionar os efeitos da seca na Paraíba. O termo de compromisso tem vigência de 365 dias, a partir da assinatura. 

O governo do Estado vai encaminhar à Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) do Ministério da Integração um Plano de Trabalho e um Plano Detalhado de Resposta para demonstrar como e onde serão aplicados os recursos. 

Projeto São Francisco

A implantação, operação e manutenção do sistema de abastecimento de água em comunidades rurais situadas ao longo dos canais do Projeto de Integração do rio São Francisco na Paraíba prevê investimentos de R$ 35,7 milhões da União. Ao todo, 32 comunidades rurais dos municípios de Monteiro, Monte Horebe, Cajazeiras, São José de Piranhas e Cachoeira dos Índios serão beneficiadas. 

Participaram da audiência, o secretário de Infraestrutura Hídrica do Ministério da Integração, Osvaldo Garcia; o deputado federal Aguinaldo Ribeiro; os secretários João Azevedo (Recursos Hídricos, Meio Ambiente e Ciência e Tecnologia), Tárcio Pessoa (Planejamento, Orçamento, Gestão e Finanças), Lindolfo Pires (Representação Institucional do Governo do Estado em Brasília).

Medias que serão adotadas:

Confira abaixo as ações previstas no Plano Emergencial: 

- Adutora de montagem rápida = 137,67 Km

- Carros-pipa = 175 unidades

- Cisterna de 16 mil litros = 13 mil unidades

- Cisterna-enxurrada = 500 unidades

- Cisterna calçadão = 2 mil unidades

- Sistemas de abastecimento de água = 660

- Sistema dessalinização = 50

- Barragem = 4

- Barragem subterrânea = 2.430

- Barreiros trincheira = 224

- Barreiros = 105

- Perfuração de poços artesianos e amazonas = 920 unidades

- Caixa d’água = 500 unidades

- Filtros de barro = 10 mil unidades

- Garantia Safra (Sedap) = 60 mil agricultores (total de R$ 51, 4 milhões)

- Forragem/distribuição (Sedap) = 15 mil toneladas

- Forragem/produção (Empasa) = 15 mil agricultores

- Forragem/ produção (Emepa) = 36,9 mil blocos

- Ações complementares: o Estado irá disponibilizar, por meio de seus órgãos, os técnicos para auxiliar as ações dos agricultores que envolvem extensão rural. O Governo oferecerá assistência técnica para a elaboração de projetos com vistas à obtenção de financiamentos bancários. 






Fonte: Portal Correio
Foto: Hermes de Luna

Postador Sebastião Barbosa

«
Proxima
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário :

receba nossas atualizações no seu Email

PESQUISE AQUI